11 maneiras de como ajudar Colegas na Escola contra o Bullying

por

A maioria dos guias com dicas contra o bullying parecem úteis apenas na teoria. Aqui você vai aprender na prática dicas para aplicar hoje com seu filho.

Pesquisei e reuni toda a minha experiência como mãe para dar a você 11 etapas práticas para as crianças aprenderem a enfrentar o bullying. 

Continue lendo para ver essas maneiras 

# 1 Crie uma lista de respostas

Ensinar seu filho a impor limites é muito importante. Quando o bullying acontecer na escola ou na rua, eles saberão não apenas o que dizer, mas como dizer (linguagem corporal, intenções, etc.)

As frases de limites já fazem parte do vocabulário de seus filhos? O que eles dizem quando você cruza seus limites, eles dizem alguma coisa? 

Plano de ação: 

Pratique isso em casa com seus filhos. Da mesma forma que você impõe limites a eles, faça com que façam o mesmo com você. Lembre-se de treinar também as palavras / frases exatas com a intenção certa. Se uma criança não está olhando nos olhos ou está curvada para baixo, não vai passar a mensagem. 

# 2 Aumente a confiança do seu filho

A confiança pode ser algo vago, mas quanto mais confiante uma criança, menos impacto o bullying terá sobre sua auto-estima. Dê atenção a seus hobbies, atividades ou interações sociais. Qualquer coisa que faça seu filho se sentir bem ajuda a aumentar sua confiança.

Por exemplo, se eles gostam de jogar basquete, incentive-os a fazer aulas, encontrar amigos que também gostem do esporte, assista partidas com eles na TV. Isso os tornará mais confiantes sobre um assunto. E essa confiança se espalhará para outras áreas também.

Plano de ação: 

Mapeie os hobbies e interesses de seu filho. Faça perguntas, aprenda mais, incentive-os a dar um passo à frente nessa atividade. 

# 3 Ensine seus filhos a defender as coisas

Ensine uma criança a defender coisas que ela acredita ser uma ótima maneira de parar o bullying. Se as crianças estão acostumadas a defender coisas em que acreditam, como não jogar lixo no chão ou não deixar a casa suja. Eles provavelmente irão se posicionar contra agressores e outras coisas com as quais não concordam. 

Se você vir outra criança passando por bullying em um parque, converse sobre isso com seu filho. Mostre a eles o exemplo dessa abordagem, o que a criança fez de bom, o que eles não fizeram de bom. 

Plano de ação: 

Descubra coisas sobre as quais seu filho deve defender. Pode ser algo trivial ou algo que você e sua família já acreditam. Faça-os praticar para serem bons defensores. 

# 4 Ensine seu filho a ser vulnerável

É crucial que as crianças identifiquem seus sentimentos e os compartilhem com você. Como mãe, você tem o dever de comunicar seus próprios sentimentos ao filho, ensinando que é normal ter essas emoções.

A melhor maneira de ensinar uma criança a ser vulnerável é você sendo vulnerável com ela.

Plano de ação: 

Liste 5 tópicos sobre os quais você pode ser vulnerável com a criança e peça 5 coisas de volta a eles. Mostre a eles que não há problema em ter sentimentos, desde que você fale sobre eles. 

# 5 Ignore o agressor 

As crianças estão sempre procurando atenção, portanto, se uma criança não reage ao bullying, geralmente é a maneira mais eficaz. Agora, para ensinar seu filho a ignorar as coisas, será necessária uma habilidade de inteligência emocional para controlar seus sentimentos. 

Isso é algo que você, como mãe, deve analisar em seu filho, ele reage emocionalmente às coisas, fica calmo? Sabendo quais são os traços de personalidade de nosso filho, podemos acessar melhor o problema.

Plano de ação: 

Analise o comportamento de seus filhos, eles são emocionalmente estáveis? Ou eles enlouquecem com as coisas? Com essa resposta, faça um plano para que seu filho controle seus sentimentos no momento. 

# 6 Faça uma piada 

Parece bobo, mas se uma criança ri naturalmente com o agressor, isso mostra confiança em quem ela é. 

Meus filhos fizeram algo incrível, eles naturalmente zombavam de si mesmos e riam com os valentões em potencial. Curiosamente, isso manteria os agressores afastados. Fazer isso esvazia todo o poder que um agressor já teve quando interagiu pela primeira vez. 

Plano de ação: 

Você tem esse hábito em casa de a família tirar sarro de si mesma? Se não, comece a praticar, isso dará a seus filhos uma noção da realidade de que nenhum de nós é perfeito, e tudo bem! 

# 7 Ensine a importância dos amigos

Os valentões tendem a visar crianças que não têm muitos amigos ou estão sempre sozinhas. Ensine seus filhos a fazer amizade com todos, assim acabará com o bullying.

Mostre ao seu filho a importância da amizade em nossas vidas e cultive a empatia dele, incentivando com que ele se aproxime de alguém na escola que está sempre sozinho, para ver como esse coleguinha está. 

Plano de ação: 

Sente-se com seu filho em casa e pergunte sobre seus amigos, como são, o que gostam de fazer, etc. Agora, pergunte se há algumas crianças na escola que parecem não ter muitos amigos. Identifique quem são essas crianças. Incentive seu filho a conversar com eles e ver como estão. 

# 8 Diga ao agressor para parar

Novamente, voltando ao nosso princípio básico de limites e respeito, seu filho ficará muito ciente se o agressor estiver cruzando limites. 

Enfrentar os agressores e dizer-lhes para parar com uma voz confiante geralmente funciona. O agressor muitas vezes escolhe as crianças que podem ser intimidadas, de modo que não esperam que alguém revide e imponha limites. 

O agressor geralmente busca uma vítima que não diz nada. Então, se ele sabe que seus filhos se defendem das coisas, ele não terá interesse em bagunçar com eles ou nenhum de seus amigos. 

Plano de ação:

Cada membro da família tem seus próprios limites claros em casa? O que eles são? Mostre aos seus filhos que, por exemplo, a mamãe tem seus limites (por exemplo: a hora do banheiro ninguém interrompe). Papai tem limites (por exemplo: quando ele está no computador com fones de ouvido, tente não interromper, a menos que seja uma emergência). A criança também tem limites (por exemplo: deixe os brinquedos no chão do quarto, mas não pela casa) 

# 9 Promova uma linguagem corporal positiva 

Isso é algo que deve fazer parte da rotina dos pais. Sempre dou esse conselho da psicóloga Michele Borba . Diga a seu filho para criar o hábito de sempre olhar nos olhos da pessoa com quem estiver falando.E ensine-o a fazer a mesma coisa quando ele estiver falando com uma criança que o está incomodando, olhe nos olhos.

Isso fará com que seu filho pareça mais confiante e, com o tempo, terá uma confiança genuína.

Plano de ação: 

Nossos filhos são esponjas e modelam tudo de nós. Avalie sua linguagem corporal e nossa postura. Corrija o que você acha que está errado. Em seguida, comece a manter padrões para a linguagem corporal de seu filho. Como eles agem ao falar com estranhos? E com seus amigos? Incentive-os a ter a mesma linguagem corporal, não importa quem seja a pessoa.

#10 Supervisionar sua tecnologia e mídia social

À medida que nosso mundo se torna digital, temos que dar conta do cyberbullying na internet. É mais fácil intimidar online. 

Crianças que não teriam coragem de intimidar cara a cara agora podem recorrer à mídia social e intimidar lá. 

Plano de ação: 

Quando seus filhos começarem a usar as redes sociais, mantenha-as curiosas e divertidas, pergunte a eles sobre os amigos lá, interações, etc. Tente checar com eles diariamente e também faça visitas frequentes a seu perfil. 

# 11 Denunciar o bullying a um adulto

Deixe claro para seu filho que a melhor maneira de prevenir o bullying é conversando com um adulto. Faça-os compreender os motivos pelos quais outras crianças não contam a ninguém que estão sofrendo bullying. 

Seja sincera e diga a eles que é preciso coragem e força para denunciar o bullying, mas é a maneira mais inteligente de parar com isso. 

Plano de ação: 

Só tenha essa conversa quando seu filho estiver totalmente ciente do que é bullying. Você pode procurar um exemplo de alguém que sofreu bullying e enfatizar que denunciar é sempre a opção mais inteligente. 

O que fazer a seguir? 

Bem, agora entre em ação! Pegue as etapas mencionadas neste artigo e aplique-as aos seus filhos pequenos em casa. Uma verdadeira mãe é uma mãe de ação!

Photo of author

Marcia Toledo

Mãe de 3, madrasta de 2 e avó de 4 me deu o titulo de Mãe Experiente. Depois de Pura pressão social, decidi compartilhar meus conhecimento sobre ser uma mãe e ter uma familia.