Educação Financeira Para Crianças | Dicas de Mãe

por

E se o futuro do seu filho dependesse das lições financeiras que você passa para ele?

Bom, diria que isso é verdade!

Por isso vou te ensinar as melhores dicas para ensinar educação financeira para seus filhos, sejam eles crianças ou adolescentes.

Separei 9 dicas que me fizeram perceber que falar sobre educação financeira com as crianças não é nenhum bicho de sete cabeças, e que ajudarão vocês também.

1 – Explique para que o dinheiro serve

Durante a educação financeira para crianças, o primeiro passo é sempre conversar com a criança, explicar pra ela de onde vem o dinheiro, pra que serve, como se usa e etc. 

A criança aprende brincando, uma ótima forma de ensinar de onde vem o dinheiro para o seu filho é criando cenas imaginárias. 

Por exemplo brincar de lojinha, super mercado ou, para os mais velhos, até de banco imobiliário. 

Use dinheirinho de brinquedo (de preferência os que pareçam reais) e ensine que cada coisa tem um valor, assim você também conseguirá explicar o conceito de “caro” e “barato”.

2- Ensine como conseguir dinheiro

É muito comum as crianças acharem que o dinheiro aparece magicamente no cartão de crédito da mamãe e do papai, e que esse dinheiro nunca acaba. 

Faça seu filho entender que não é bem assim que acontece. 

Explique que para ganhar dinheiro a mamãe e o papai trabalham e que quando recebem o dinheiro. 

Eles o colocam no banco e o cartão só é um meio de utilizar esse dinheiro guardado, explique também o que acontece quando se gasta em excesso. 

Eu sei, pode parecer muita informação para uma cabecinha tão novinha, mas não se engane! 

As crianças são extremamente inteligentes e entendem tudo o que falamos, então se você explicar com calma e com exemplos simples, elas vão aprender.

3 – Explique que ao lidar com dinheiro, as vezes é preciso fazer escolhas difíceis 

A criança precisa entender que uma determinada quantidade de dinheiro, possibilita apenas uma compra dentro desse valor. 

Então se seu filho só tem R$5,00 ele saberá que terá de escolher entre o sorvete e aquele brinquedinho que ele viu durante o caminho. 

É nesse momento que você pode aproveitar para ensiná-lo o conceito de “poupança” ou simplesmente de guardar dinheiro. 

Conte que se ele deseja um brinquedo mais caro, ele precisa ir juntando o dinheirinho aos poucos até chegar no valor que o brinquedo desejado custe. 

Pesquise com seu filho o menor valor do brinquedo que ele  quer e monte com ele uma estimativa, se ele guardar R$10,00 por mês em quanto tempo ele conseguiria chegar ao objetivo. 

Você pode até recortar uma imagem do brinquedo que ele quer e desenhar esse planejamento do lado. 

Estímulos visuais e um tempo estimado são importantes, pois ajudam a criança a manter aquele objetivo sempre em mente, incentivando-o a seguir o planejado. 

4 – Utilize cofrinhos

Como disse, estímulos visuais são extremamente úteis para as crianças. 

Então é uma boa ideia utilizar um cofrinho transparente, para que a criança veja o tanto de dinheiro que já conseguiu guardar. 

Caso você não encontre um cofre transparente, utilize o de peso. 

No final de toda a semana (ou mês) dê o cofrinho pra criança segurar e comente com ela o quanto o peso aumentou.

Explique que isso aconteceu graças ao esforço dela de juntar dinheiro e aproveite para incentivar que ela continue a fazer isso. 

Quando finalmente a criança atingir seu objetivo, seja de comprar um brinquedo ou fazer um passeio, comemore com ela e incentive a fazer isso mais vezes. 

Juntar dinheiro já não é fácil para um adulto, imagine para crianças, que são mais ansiosas. 

Além de desenvolver noção de tempo e paciência, a educação financeira para crianças ensinará a dar valor ao dinheiro e utilizá-lo com sabedoria. 

5 – Dê mesada

Mesadas são uma ótima forma de educar seu filho a como usar o dinheiro de forma responsável, mas é preciso prestar atenção a alguns detalhes. 

Dar todo o dinheiro de uma vez para uma criança de 2 anos pode não ser uma boa ideia, pois nessa idade ainda não se tem muita noção de tempo. 

Nesse caso é recomendado as “semanadas” dar um pouquinho de dinheiro toda a semana.

Para crianças acima dos 6 anos você já pode trocar para a “quinzenada”, dando uma certa quantia em dinheiro de 15 em 15 dias. 

Já para adolescentes você pode aplicar o estilo tradicional de mesada, dando o dinheiro todo o mês. 

Nessa idade é indicado também a incentivar a criança a começar a procurar projetos de aprendizes (normalmente a partir dos 14 anos), para que eles possam ter a experiência de trabalhar para ganhar seu próprio dinheiro. 

Quando o assunto é mesada, também é necessário se atentar ao valor oferecido para a criança. 

Para crianças pequenas o recomendado é definir um valor de acordo com a idade, por exemplo, para uma criança de dois aninhos você pode optar por dar R$1,00 por semana (totalizando 4 reais no final do mês). 

Quando estiverem maiores, você pode ir aumentando os valores, uma criança de 6 anos, por exemplo, pode receber R$6,00 por semana, somando 12 reais no final do mês e assim por diante.

6 – Incentive a doação.

Acredite, prosperidade também tem a ver com doação! 

Ensinar seu filho a fazer doações regulares é muito importante, pois além de aprenderem a dividir, seus filhos também irão desenvolver responsabilidade social e empatia. 

Além disso, esse hábito impedirá que seus filhos cresçam egoístas e consumistas demais. 

Separe um dia e peça ajuda ao seu filho para separar roupas, brinquedos, livros que não servem mais ou que eles simplesmente não usam mais e só está ocupando espaço. 

Peça ajuda também para realizar a entrega das doações, isso fará uma grande diferença na forma como seu filho enxerga as coisas.

7 – Dê o exemplo

Se o seu filho estava guardando dinheiro para um passeio, mas resolveu gastar com um brinquedo, seja firme. 

Por mais difícil que seja ver seu filho chorando por querer algo, é importante sempre seguir o combinado, senão ele nunca aprenderá o valor do dinheiro, pois mesmo que ele gaste com outra coisa a mamãe irá dar o que ele queria. 

Reforce gentilmente que o dinheiro exige escolhas difíceis e que se ele gastar com outra coisa ele ficará sem o objetivo dele até que junte o dinheiro novamente. 

Eu sei, parece cruel (e não se engane, é realmente muito difícil para nós como pais fazermos isso) 

Mas é extremamente importante que seus filhos sigam o combinado para que a educação financeira possa dar resultados positivos.

8 – Incentive o empreendedorismo

Adultos com instinto empreendedor tendem a encontrar soluções diversas para ganhar mais dinheiro quando necessário, e dificilmente ficam abatidos quando sua situação econômica está nas vacas magras. 

Então porque não cultivar essa qualidade desde criança? 

Pode ser somente através de brincadeiras, como as que citei no começo do artigo, ou como uma forma real de conseguirem mais dinheiro para chegar mais rápido a um objetivo financeiro.

Você pode incentivá-la a escolher alguns brinquedos que estão em bom estado e ajudá-la a vender através de grupos de desapego no facebook por exemplo (e claro, repassar esse dinheiro para a criança após a venda). 

Além de ser algo com que a criança possa se divertir, também será muito útil para ela no futuro.

9 – Inclua as crianças

Crie o hábito de incluir seus filhos sempre que precisar tomar alguma decisão financeira em sua casa. 

Explique como anda o orçamento familiar e dê a ela as opções que você está considerando, e deixe que ela dê sua opinião sobre o assunto. 

Assim, você fará com que seu filho sinta que sua voz é realmente ouvida e que sua opinião tem importância, além de incentivar o pensamento crítico.

O que fazer a seguir

Lembre que as crianças aprendem brincando, então sempre que for explicar algo pra ela, coloque em prática nas brincadeiras. 

Estimule seu filho a guardar dinheiro em cofrinhos e incentive ele a buscar novas soluções de aumentar seu dinheiro para alcançar algum objetivo.

Ensine que ao lidar com dinheiro as vezes é preciso fazer escolhas difíceis. 

E seja firme quanto a isso, nada de ficar abrindo exceções o tempo todo, para não atrapalhar o aprendizado.

E se você está pensando em usar as tarefas domésticas como uma fonte de renda para seus filhos, não deixe de ler nosso artigo Tarefas domésticas para cada idade, onde temos um tópico inteiramente dedicado a esse assunto.

Photo of author

Marcia Toledo

Mãe de 3, madrasta de 2 e avó de 4 me deu o titulo de Mãe Experiente. Depois de Pura pressão social, decidi compartilhar meus conhecimento sobre ser uma mãe e ter uma familia.